Início » Notícias » Sexo e Cannabis: Uma combinação que favorece as mulheres

Sexo e Cannabis: Uma combinação que favorece as mulheres

Pense numa boa noite de sexo… agora imagine isso ainda melhor. 

Pesquisas apontam que uma das formas de se potencializar o prazer da mulher é combinando as propriedades da cannabis durante o ato sexual. Isso pode ser conseguido de diversas formas: fumando, comendo, inalando óleo ou usando produtos específicos aplicados nas regiões certas. 

Hoje em dia é cada vez mais comum encontrarmos nos países legalizados produtos derivados de maconha para serem usados na hora de dar aquela namorada gostosa, entre eles: óleos lubrificantes, gel massageadores, camisinhas, sprays, cremes.

São dezenas de marcas e produtos que não só prometem, mas cumprem a melhoria no prazer, principalmente das mulheres, que são as mais favorecidas nesse ramo. 

Mas afinal de contas, o que a maconha tem a ver com sexo e por que a mulher leva vantagem nisso? 

Os estudos 

Não é de hoje que o uso da cannabis, tanto para a saúde da mulher quanto especificamente para o sexo, é conhecido e indicado.

Há registros milenares na medicina ayurveda, na chinesa e no tantra que indicam a erva para dores no parto, cólicas, desconforto pélvico e para melhorar o prazer sexual. Para ler mais sobre Aplicações da Cannabis na Ginecologia, clique aqui.

Esse conhecimento se espalhou pela Ásia e África até a Idade Média, quando foi difundido pela Europa, momento que muitas mulheres foram perseguidas durante a inquisição acusadas de bruxaria, somente por usarem ervas em seus preparos, entres elas a cannabis. 

Trazendo esse assunto para tempos mais atuais, em 1967 o sociólogo norte-americano Erich Goode, constatou em uma pesquisa que 68% dos 200 entrevistados relataram mais estímulos na atividade sexual após o uso de maconha, a maioria mulheres.

Três anos depois, a escritora Barbara Lewis publicou um estudo:  A maconha e a sexualidade. Na pesquisa ela ouviu 32 pessoas, das quais 78% relataram usar a droga para aumentar a satisfação sexual.  

Quando a maconha foi legalizada no Uruguai, 2013, o sexólogo Santiago Cedrés, presidente da Sociedade Uruguaia de Sexologia publicou o artigo, “A maconha e a sexualidade: os efeitos do consumo e a resposta sexual” e explica em detalhes o que muita gente já sente na prática ao combinar maconha e sexo: mais prazer. 

Em 2017, pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade Stanford publicaram uma pesquisa na revista científica Journal of Sexual Medicine. Foram analisados dados de 50 mil pessoas, entre 25 e 45 anos. 

Os entrevistados eram questionados sobre o número de vezes que fizeram sexo nas últimas quatro semanas e a frequência de uso da cannabis no último ano. 

O resultado foi uma revelação interessante sobre a planta: 


”Os usuários da erva fazem sexo com mais frequência. Em média, 20% a mais dos que não fazem o uso da cannabis. As mulheres que usam a erva levam vantagem e chegam a transar 7,1 vezes em um mês contra 6 vezes das que não fumam. Entre os homens, a média foi de 6,9 para os usuários contra 5,6 para os outros.”

Bárbara Lewis, autora do livro A maconha e a sexualidade.

A química e a magia: como se dá?

Em dosagens corretas, preparadas com plantas adequadas, provenientes de um bom e cuidadoso plantio, os preparos à base de cannabis reduzem a ansiedade, promovem o bem-estar, a desinibição, aumenta a vaso-dilatação (favorecendo a ereção) e a sensação de prazer.

Porém, estar de olho na dosagem é muito importante, pois em excesso, pode causar sonolência, paranoia, falta de lubrificação ou dificuldade de ereção.  

Combinar as potencialidades das espécies sativa e indica em plantas híbridas pode ser uma boa opção.

A vantagem das minas na hora do sexo cannábico 

É a planta fêmea da cannabis que produz a flor e a seiva, de onde extraímos toda sua potencialidade medicinal e espiritual. Será que isso explica a vantagem das mulheres nos estímulos sexuais com o uso dessa erva? 

O sexólogo uruguaio, Santiago Cedrés, observou que o THC (Tetrahidrocannabinol – um dos componentes da planta) tem poder afrodisíaco nas mulheres, por isso age mais potente no cérebro. Mesmo em baixas doses, produz relaxamento e alterações dos sentidos visual, auditivo e olfativo, aumentando o desejo sexual. 

O canabinol, outra substância presente na planta, ajuda na desinibição,

relaxamento, aumenta a sensibilidade e produz uma sensação de bem-estar. 

Para as mulheres, os lubrificantes, géis e cremes à base de cannabis são uma excelente opção, pois o efeito se dá diretamente na vulva, que por ser mucosa absorve as propriedades da erva e deixa a região relaxada e lubrificada, porém, sem causar barato, pois não são psicoativos. 

Relatos de mulheres que fazem uso desse tipo de produto confessam que o orgasmo pode durar até 15 minutos. Glória Jah!

Além desses orgasmos múltiplos e duradouros, muitas mulheres escolheram a medicina da cannabis para curar traumas sexuais e conhecer melhor o próprio corpo e assim, conseguir se entregar para o ato de forma mais relaxada. Aproveitando e curtindo com mais leveza e prazer, inclusive na hora da masturbação. 

A filósofa e sexóloga norte-americana, Ashley Manta, tem uma história pessoal com a superação de traumas com o uso da cannabis. Vítima de violência sexual, ela conseguiu na terapêutica cannabica tratar traumas profundos oriundos dos abusos que sofreu e isso a estimulou a estudar as razões que explicam porque a maconha é um viagra natural para as mulheres.

Ela entrevistou 373 mulheres entre consumidoras e não consumidoras de maconha. Deste total, 127 afirmaram ter consumido a erva antes do sexo e que isso influenciou positivamente a experiência: menos dor e orgasmos mais intensos.

O uso da planta reduz a ansiedade, o estresse e a inibição e como consequência,

aumenta a sensação de prazer, a confiança e o desejo, provocando e intensificando os sentidos,

ingredientes que favorecem a relação sexual.

Maconha, cannabis, ganja, marijuana, são nominações para uma planta tão versátil em seu uso, pois além de ser indicada para tratamento de diversas doenças graves e degenerativas como: câncer, epilepsia, alzheimer, endometriose, depressão, fibromialgia, esclorose múltipla, ansiedade é uma grande aliada às mulheres para elevar as sensações no sexo. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *