Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Auto cultivo de cannabis: o que é, benefícios e cuidados

Auto cultivo de cannabis: o que é, benefícios e cuidados

Auto cultivo de cannabis

Confira informações que vão te ajudar nessa jornada

O auto cultivo de cannabis possibilita cultivar a planta e produzir dentro de casa o remédio que garante o alívio e a qualidade de vida que o paciente merece.

Ainda que o Brasil seja um país proibicionista, existe um instrumento jurídico chamado Habeas Corpus que garante ao paciente o direito de plantar, sem problemas com a justiça.

Trata-se de uma ação judicial que prova a necessidade da cannabis enquanto tratamento e também prova que plantar e extrair a medicação em casa é uma alternativa segura e econômica, e portanto, deve ser reconhecida como um direito à saúde, previsto e garantido pela constituição.

Hoje em dia são mais de 500 pessoas que já realizam o auto cultivo de forma autorizada no Brasil e essa realidade vem crescendo.

“O auto cultivo é para mim hoje a melhor solução para realizar o tratamento com cannabis, que é indispensável para minha saúde. Eu sofro de uma doença degenerativa e os custos de comprar a medicação de forma legal são muito altos e o auto cultivo supri minha demanda de forma mais econômica”, revela Augusto Saraiva, paciente com autorização de cultivo.

Auto cultivo de cannabis

 

Foto: Pexels

Assista a live completa com o relato dele sobre como foi o processo de conquista do Habeas Corpus no canal da Soucannabis no Youtube

Entre os argumentos para estimular o auto cultivo de cannabis, principalmente para fins medicinais, o principal deles é quanto à qualidade do produto final.

Aprenda os caminhos para obter a autorização de auto cultivo e produzir seu próprio remédio!

Curso 100% online com certificação

Acompanhar a escolha da semente, o modo de plantio e todo o processo de extração do óleo é fundamental para que o resultado esperado com o uso da medicina seja efetivo.

“O processo terapêutico cannabico pressupõe, necessariamente, uma curva de aprendizagem pessoal do paciente. 

Por mais que esta pessoa se oriente com bons profissionais, é preciso estudar na prática quais quimiotipos e em qual dose (são múltiplas possibilidades), serão mais efetivos para alcançar o objetivo terapêutico. 

Esse é um processo de aprendizagem que só existe e se expande pelas diferentes variedades de cannabis, preparações de óleo e dosagem e só é possível através do auto cultivo.

Sem o auto cultivo, o paciente fica refém das escassas opções que o mercado apresenta e assim, reduz as possibilidades de alcançar o maior alívio terapêutico que a cannabis pode produzir”, esclarece Pedro Nicoletti @nicomalazartes, cultivados e professor do curso “Da semente ao uso do remédio”. Saiba mais neste link.

“Ao optar pelo tratamento cannabico é muito importante que o paciente se dedique para aprender e entender o tratamento. Mesmo que seja acompanhado por bons profissionais, estudar na prática 

Além disso, o retorno prazeroso que se sente quando se consegue cumprir todas as etapas, do plantio à produção do remédio, ajudam no próprio processo terapêutico do paciente. 

Produzir o óleo dentro de casa assegura o cuidado que só o próprio paciente pode garantir, em todas as etapas. 

Isso, sem falar na sensação de liberdade e independência de ser autossuficiente na produção do remédio, que atende as necessidades do paciente. 

Auto cultivo de cannabis – o que é necessário para começar

Pouco espaço atende a demanda

Se você acha que é preciso morar em casa com quintal para cultivar a planta e ter um laboratório equipado para extrair o óleo, desfaça essa crença.

Auto cultivo de cannabis

 

Foto: Pexels

Poucos metros quadrados dentro de casa são suficientes para acomodar os vasos necessários para colher a quantidade de flores, extrair e atender a demanda do paciente.

Para se ter uma ideia, uma pessoa raramente  consome mais de 50mg por dia, que é considerada uma dose alta.

Para obter esses 50mg serão necessários, quando muito, meio grama de flor de cannabis. 

Para levar essa dose por um mês, essa pessoa precisa então de 15 gramas de flor. 

Esse tratamento, levado por 3 meses, que é o tempo mínimo entre as colheitas, demanda 45 gramas de flor seca. 

Esse total pode ser obtido com uma só planta de cannabis, que não ocupará mais que 1 metro quadrado.

Equipamentos para cultivo

A depender do local que você mora, se for mais úmido ou mais seco, pode ser que seja necessário algum equipamento específico para controlar o ambiente ideal de cultivo, mas no geral, para o cultivo dentro de casa os requerimentos básicos são:

  • Termômetro
  • Ventilador
  • Abrigo para proteção da chuva 
  • Filtro de água para irrigação  
  • Espaço arejado e iluminado com luz natural ou lâmpadas 

Insumos para o cultivo

O auto cultivo caseiro dispensa o uso de produtos e aditivos químicos, ou seja, é absolutamente possível realizar um cultivo orgânico e ter uma produção natural e suficiente para atender a demanda do paciente.

Essa é, sem dúvida, uma das principais vantagens do autocultivo, ter acesso a uma planta natural, o que implica diretamente na qualidade do remédio que será extraído dela.

Qualidade do começo ao fim.

Os insumos básicos são:

  • Solo/Substrato 
  • Sementes 
  • Fertilizantes

A escolha da semente

A primeira dúvida que surge para a maioria das pessoas que querem cultivar é sobre onde conseguir boas sementes.

Existem centenas de sites na internet que realizam esse tipo de venda. 

O mais indicado é que se contacte sites de clubes de cultivadores, pois são mais seguros, tanto no que diz respeito à genética da semente quanto à entrega compra.

Por ser não ser um mercado legalizado e, portanto, não regulamentado, não há garantias que assegurem o consumidor. Por isso, busque referências de onde for comprar.

É importante saber com o profissional da saúde que faz a prescrição do medicamento qual a proporção de cannabinoides que deve ter o remédio para então, buscar a variedade que tenha o quimiotipon adequado  ao tratamento.

Na hora de comprar procure saber se as sementes são feminizadas, afinal, é preciso plantas fêmeas para florir.

Normalmente, o cardápio de cada site apresenta as características da planta que vai originar da semente, por exemplo: tipo de genética, percentual de cannabinoides, tipos de terpenos, qual a altura da planta, qual o rendimento médio, o tempo de floração e qual o melhor tipo de ambiente para o plantio.

São informações importantes para você ter segurança da planta que será consumida.

Quanto à questão legal, a orientação correta é que a compra seja feita com autorização judicial, pois ainda não existe um consenso na esfera jurídica se o ato da compra de semente configura crime ou não.

Pelo entendimento da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e da 2º turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça), por não conter THC (princípio psicoativo da maconha), a semente não pode ser considerada droga.

Porém, outras turmas entendem que por se tratar de uma semente que vai originar uma planta que é considerada droga, a importação deve ser tipificada como crime de tráfico. 

Extração e produção do remédio à base de cannabis

Calma, você não vai precisar de um laboratório para produzir o remédio.

É interessante escolher um método que dispense o uso de solventes químicos para garantir inocuidade do produto adequado ao tratamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.