Pular para o conteúdo
Início » Notícias » A importância da dosagem no tratamento com cannabis

A importância da dosagem no tratamento com cannabis

O que você deve saber para ter melhores resultados

A dosagem no tratamento com cannabis é um dos pontos que mais interfere nos resultados que se espera alcançar.

Já dizia o médico e físico suíço-alemão Paracelso, no século XVI:

“A diferença entre o remédio e o veneno está na dose”. 

Essa máxima se aplica para qualquer substância que for ser consumida, como por exemplo o açúcar ou o sal, que em grandes doses pode ser fatal para pessoas com diabetes ou pressão alta.

A dose vai comandar a reação do usuário ao tratamento. Portanto, o ideal é que, ao iniciar o uso da planta, deve-se considerar a menor dose possível e ir aumentando gradativamente, conforme for a resposta do corpo.

A dosagem no tratamento com cannabis varia de pessoa para pessoa

Os compostos químicos da cannabis agem no organismo através do Sistema Endocannabinoide – SEC, responsável por promover o equilíbrio de todos os outros sistemas vitais.

Cada pessoa tem um SEC próprio e uma reação individualizada ao tratamento. Ou seja, o mesmo remédio indicado na mesma dosagem vai promover resultados diferentes em cada pessoa.

Portanto, dar os primeiros passos no tratamento com doses mínimas é seguro e ajuda no acompanhamento do profissional de saúde para ir aumentando confome a resposta do paciente.

O tratamento com cannabis é seguro

A planta apresenta compostos químicos diversos e que atuam no organismo humano de forma eficiente e segura.

Por isso, ir testando a dosagem do remédio em quantidades mínimas, facilta o caminho para encontrar com segurança a dose terapêutica ideal.

Ao contrário das medicações em geral, que ao lado dos benefícios da sua indicação trazem consigo uma ampla lista de efeitos colaterais adversos, não existe registro de overdose pelo uso de cannabis e os efeitos colaterais são mínimos e mais fáceis de controlar.

Muitos deles são inclusive os efeitos desejados em alguns casos, como por exemplo a sonolência, que pode ser indesejado durante o dia, mas almejado para quem possui dificuldades para dormir à noite.

O alto nível de segurança da cannabis acontece porque as substâncias da planta não se conectam em regiões do cérebro que comandam atividades vitais como os batimentos cardíacos e a respiração.

Portanto, ainda que a pessoa faça uso de uma alta dose de cannabis, ela não terá parada respiratória ou cardíaca, ao contrário de outras medicações, que são facilmente encontradas em drogarias e que avisam na bula a dose máxima permitida sem risco de morte.

Como lidar com efeitos colaterais no tratamento com cannabis

Os efeitos colaterais variam de acordo com a composição de cada remédio, pois a proporção dos componentes químicos, principalmente CBD e THC, é importante para prever esses efeitos.

O THC provoca uma reação psicoativa no organismo, por isso ir testando a dosagem de miligrama em miligrama, ajuda prevenir os efeitos coletaris indesejados, como:

Aumento dos batimentos cardícos

Boca seca

Olhos avermelhados

Fobias

Crises de ansiedade

Alteração de equilíbrio

Capacidade de concentração

Já no caso do CBD,  as pesquisas mais recentes sugerem que há pouca intolerância ao uso.

É importante frisar que quando o tratamento é acompanhado por um profissional de saúde dedicado ao tema e que começa indicando doses mínimas, esses efeitos colaterais são evitados, controlados e melhor administrados.

Além disso, é importante observar se não há interação medicamentosa, ou seja, o uso concomitante da cannabis com outras substâncias alopáticas, o que deve ser informado ao prescritor.

No entanto, caso o usuário apresente algum mal estar por conta do uso dos canabinoides, o mais importante é tranquilizar que não há risco grave à saúde e que com tempo tudo vai se normalizar.

O primeiro passo é avisar o prescritor dos efeitos adversos, porém algumas medidas podem ser tomadas:

Encontrar e permanecer em um lugar seguro e confortável

Evitar compromissos e necessidade de tomada de decisão

Tomar banho quente

Beber água ou algum chá relaxante

Respirar profundamente

Se alimentar preferencialmente com comidas leves

Conversar ou simplesmente contar com o suporte de alguém de confiança

O que é a microdosagem

É a menor dose possível usada para administrar uma substância sem que tenha efeitos sensitivos significativos, como alteração de percepção, por exemplo.

O ideal é que o prescritor use baixas doses da substância e aumente gradativamente até que o usuário sinta as alterações de percepção. A microdose é a dose anterior à que trouxe o efeito indesejado.

Com a microdosagem é possível que o paciente faça uso do THC, sem ter o efeito chapado, já que a presença dessa substância no tratamento é importante, pois é também terapêutica.

A forma de uso e a dosagem no tratamento com cannabis

Outro fator a ser considerado para encontrar a dosagem terapêutica ideal é a via de administração do remédio.

Pela ingestão o mais recomendado são os óleos, que podem ser de diversos tipos. 

Neste caso, é preciso considerar se a via é sublingual ou por ingestão em cápsulas, por exemplo.

No caso sublingual a absorção será mais rápida, pois pela mucosa da boca as substâncias  entram na corrente sanguinea, o que provoca um efeito mais rápido, cerca de 15/30 minutos após o uso.

No caso de ingestão de cápsulas ou comprimidos, o remédio vai para o sistema gástrico e o efeito demora um pouco mais para contecer, de 30/60 minutos após o uso. Porém, será por tempo mais prolongado.

No caso inalado o efeito é mais imediato, cerca de 10/20min e tem duração mais rápida, cerca de 60 minutos. É um efeito quase que instantâneo, indicado para tratamento de dor.

No caso de uso tópico, por ser pelo contato com a pele não entra direto na corrente sanguínea. 

Guia de dosagem no tratamento com cannabis

Alguns indicativos podem auxiliar o prescritor a identificar a dosagem para começar o tratamento, são eles:

Peso corporal

Via de administração

Efeito que se deseja

Efeitos que se esté disposto a sentir ou que se faz questão de evitar

Concentração do remédio

Proporção entre os cannabinoides

Experiências anteriores com cannabis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.